Ainda longe da reciclagem de veículos

Publicado: 16 de julho de 2009 em Automotivo, Opinião
Tags:
Imagem/web

Imagem/web

Para cada componente, uma solução. É assim que a indústria automotiva deveria tratar as peças, componentes e sistemas usados na fabricação dos veículos no Brasil. Poucas pessoas sabem, mas o índice de materiais recicláveis nos carros é superior a 90%. Entre os itens aproveitáveis, estão as peças metálicas da carroceria e do motor, que são quase 100% recicláveis, sistemas elétricos, pneus, componentes plásticos do painel de instrumentos, espuma e revestimentos de bancos e das portas, entre outros.

Além de dar um destino correto aos materiais descartados ou que poderiam ser jogados em terrenos baldios ou amontoados em sucatas, em países como a Argentina, por exemplo, as montadoras, em parceria com instituições como o Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi), possuem um programa para garantir o reaproveitamento de todas as peças, componentes e sistemas dos veículos.

De acordo com José Aurélio Ramalho, diretor de operações do Cesvi Brasil, a criação de um programa semelhante no Brasil traria uma série de benefícios ambientais, econômicos e sociais para a cadeia produtiva do setor automotivo. Ramalho indica que os componentes descartados poderiam ser reaproveitados na produção de peças para os carros novos ou vendidos no mercado de componentes para veículos usados. “Estaríamos beneficiando dois pontos importantes: o da reciclagem
dos veículos e o da legalização do comércio de peças usadas, as sucatas”, sugere ele.

Ainda hoje, a legislação brasileira é omissa. Em países como o Japão, a lei da reciclagem de automóveis garante que até 2015
cerca de 70% dos componentes dos carros devem ser reciclados. Na Europa, em pouco tempo, as montadoras de veículos devem atingir a meta de 100%.

Segundo a legislação europeia, a reciclagem deve ser de 95% do veículo em 2015. O Brasil é um dos países que ainda não possuem uma rede de empresas e fornecedores de componentes e de matérias-primas para a criação dos centros de reciclagem de veículos. “Futuramente, o Brasil teria também que adotar normas como as existentes na Europa, com
o objetivo de estimular o proprietário do veículo usado a se preocupar com o destino correto do veículo. Ele iria entregar o carro em um centro coletor”, informa Ramalho.

O diretor de operações do Cesvi Brasil destaca ainda que a legalização do comércio informal de sucatas favoreceria a diminuição do furto e roubo de veículos em todo o País. Com isso, segundo Ramalho, o setor de seguradoras poderia até criar um “seguro verde”, com valores mais baratos para quem comprasse componentes e peças de veículos descartados em futuros centros especializados em reciclagem de veículos, que seriam criados nas cidades brasileiras.

O engenheiro automotivo Júlio César Câmara, do Senai/Cimatec, diz que o Brasil precisa, urgentemente, iniciar o seu programa de reciclagem de veículo. Para tanto, deve desenvolver um programa que priorize as etapas para a reciclagem dos
veículos descartados no País. Segundo Câmara, o processo de reciclagem de um automóvel é composto por quatro etapas: a
descontaminação é a fase inicial, que envolve a retirada de todos os fluidos que representem riscos à saúde e ao meio ambiente, a exemplo de lubrificantes, combustíveis, refrigerantes de ar condicionado e fluidos de freio.

Em seguida, algumas peças e sistemas podem ser reutilizados no reparo de outro veículo, sendo vendidos a indústrias de remanufatura ou diretamente como peça usada. O processo de reciclagem deve incluir também as peças que não podem ser reutilizadas, a exemplo dos componentes de segurança (cintos, rodas, suspensão, airbags, sistema de direção e segurança (ABS/ESP). Por fim, lembra o engenheiro, as peças já identificadas são armazenadas para envio ao destino correto.

Esta matéria foi publicada no caderno Motor, do Jornal A Tarde

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s