Arquivo de agosto, 2010

A corrida é de rua e em um circuito que empolga por ter sido planejada exclusivamente para os carros da Stock Car. Neste fim de semana, o compacto Mini Cooper será também estrela na pista do CAB, em Salvador. No sábado e no domingo, a etapa baiana da Stock Car terá o Mini Challenge Cup, a maior novidade da temporada 2010 da competição.
Modelos MINI Cooper S John Cooper Works, com o motor de 211 CV, quatro cilindros em linha, com turbo compressor, injeção direta de gasolina, estarão dividindo curvas e as retas acima dos 200 km/h. A disputa já é consagrada em países da Europa e Oceania chegou ao Brasil através da parceria entre a Vicar Promoções Desportivas, realizadora da Stock Car, e BMW Group do Brasil.

Os carros são importados da Inglaterra, o modelo participante é o MINI Cooper S John Cooper Works, com motor de 211 cv, com quatro cilindros em linha, com turbo-compressor e injeção direta de gasolina. Com 1.598 cc, pode atingir 240 km/h. O peso mínimo, incluindo o piloto, é de 1.170 kg. Ao longo da temporada, a manutenção ficará a cargo da JL Racing, fornecedor exclusivo dos motores, chassis e demais componentes.

A onda chinesa é tão forte que vai virar uma tsunami no Brasil. E isso vai ocorrer até o próximo ano. Por enquanto, o brasileiro vai vendo os veículos precussores no Brasil. Um deles é o Chey Face, modelo compacto que chega com preço sugerido de R$ 31.900.

O maior trunfo do veículo é a oferta de equipamentos de série. Equipado com motor 1.3 gasolina, o Face já vem com ar-condicionado, direção hidráulica, airbag duplo, freios ABS, trio elétrico e CD player com MP3 e entrada USB. Os itens citados acima só pagando nos veículos comercializados no Brasil. O Chery Face é um compacto chinês que chega para brigar com o Fiat Uno 1.0, que custa R$ 36.473 com os mesmos equipamentos do Face.

O Chery Face é um misto de hatch com minivan. Exibe frente inclinada, posição mais alta de dirigir, faróis proeminentes, rack de teto, lanternas traseiras em posição vertical e grandes área envidraçada. No interior, espaço razoável para um compacto.

A Hyundai tem planos bem ousados no Brasil. Com o sucesso do Tucson e do i30, a marca sul-coreana aposta todas as suas fichas no SUV compacto ix35. Apresentado em Florianópolis, o modelo já está sendo vendido em sua versão equipada com motor 2.0 Thela II de 166 cavalos de potência, com a opção de câmbio manual de cinco marchas ou transmissão automática de seis velocidades.

Com preço entre R$ 88 mil e R$ 115 mil, o Hyundai ix35 enfrenta rivais como o Honda CRV, Chevrolet Captiva, Dodge Journey, entre outros. A outra versão com motorização 2.4 de 177 cv não data para chegar ao Brasil. Por enquanto, apenas a versão ix35 2.0 está sendo ofertada nas cores preta ou prata. Porém, o veículo fica com visual bem interessante com a carroceria na cor branca, testada aqui em Floripa pela imprensa especializada brasileira. Destaque para o bom conjunto mecânico, suspensão equilibrada, acabamento interno e espaço generoso no porta-malas – são 728 litros e com o banco rebatido salta para 2.885 litros.

O modelo foi posicionado entre o Tucson e o SantaFé, dois veículos com boa aceitação entre os consumidores no Brasil. Por aqui, a marca decidiu não descontinuar a produção do Tucson, que será produzido em Anapólis (GO) apenas para o mercado interno. Por conta disso, o Brasil será o único país que produz o Tucson.

Veja os preços e versões:
– Hyundai ix35 2.0 com câmbio manual de cinco marchas, tração dianteira (2WD), sistema de ar-condicionado, airbag duplo e freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem) – R$ 88 mil

– Hyundai ix35 2.0 com transmissão automática de seis marchas – R$ 93 mil

– Hyundai ix35 2.0 Aut. – Inclui ainda partida por botão, piloto automático, ar-condicionado digital de duas zonas e sensor de estacionamento, entre outros itens – R$ 103 mil

– Hyundai ix35 4WD”: Inclui a tração nas quatro rodas sob demanda – R$ 108 mil

– Hyundai ix35 com tração 2WD, teto panorâmico elétrico, airbags frontais, laterais e de cortina, ESP (controle de estabilidade), TCS (controle de tração), assistente em aclives e declives e a útil câmera de ré – R$ 115 mil